Arquivo | Agosto, 2013

Montando o Kit básico: Make Pele

20 Ago

Para saber no que apostar, primeiramente você deve reconhecer os pontos altos e baixos da sua pele, é oleosa? Tem poucas imperfeições? Muitas olheiras? Assim fica fácil saber no que investir mais atenção (e dinheiro). Mas, numa ideia geral, seguem os produtinhos que considero essenciais (lembrando que aqui tem uma introdução a respeito da lógica que estou seguindo ao dar as sugestões):

* Base: uniformiza o tom e dá uma textura mais bonita à pele. Eu comecei, muito antes de realmente me apaixonar por maquiagem, pelas bases em bastão, por serem zuper baratinhas e de fácil aplicação. Em seguida, parti para as bases compactas no estilo 3 em 1 (pancake), aplicando com a ajuda da esponjinha e finalizando com os dedos, para evitar acúmulos e o efeito “reboco” (mais tarde, o pincel virou meu companheiro). Uma boa opção também são bases líquidas levinhas. O importante é respeitar seu tipo de pele: seca – precisa de hidratação, oleosa – precisa de produtos livres de óleo (oil free) e matificantes; e evitar produtos muito trabalhosos.
Experimentei: Cream Powder Duo Base – Contém 1g, Base Líquida Matte – O Boticário

Dicas de base para Kit Básico Make - iniciante

* Corretivo: para corrigir imperfeições como olheiras, espinhas, manchinhas… Gosto de aplicar por cima da base, oferecendo uma cobertura maior à área e iluminando. Basta dar leves batidinhas com o dedo, para garantir que fixe sem tirar do lugar o que foi aplicado antes.  A base em bastão, inclusive, pode ser uma substituta do corretivo, se trabalhada junto a outra base.
Experimentei: Corretivo Alta Cobertura – Natura Una, Koloss

Corretivo Kit Básico Iniciante

* Pó: serve para finalizar, “secar” o make. Tem gente que não curte usar, mas acho interessante ter na sua nécessaire para os dias quentes ou para makes noturnos que precisam durar mais tempo impecáveis. Normalmente acompanha uma esponjinha, mas não recomendo, ela cria uma camada muito espessa de produto, desperdiçando e dando um ar artificial (além de possivelmente marcar as linhas de expressão). Para o pó, recomendo sempre o uso de pincel.
Experimentei: Intense – O Boticário
Ouvi recomendações: Vult

Pó Kit Básico Iniciante

* Blush: esse é bem tranquilo, a escolha vai de acordo com seu gosto por cores: tons neutros, rosados, vermelhos, corais, roxinhos, alaranjados… E por texturas: pó, creme e líquido.  Se optar por apenas uma cor, vale apostar em algo mais neutro, um terracota ou até um bronzer e dosar a quantidade de acordo com a intensidade das cores dos olhos/boca para evitar exageros. Existem várias opções legais por preços bem amigos.
Experimentei: Panvel, Blush Líquido Intense – O Boticário, Natura Aquarela, Blush Creme a Pó –  Contém 1g

Blush Kit Básico Iniciante

Numa visão resumida da situação, é isso. Eu sei o que devem estar pensando: Mas só? Sim, só. Sem surpresas ou novidades, para quem está começando, acredito que esses quatro sejam suficientes para criar uma rotina e se conhecer melhor antes de navegar em águas mais profundas. Mesmo que não tenha o hábito de usar todos sempre, acho interessante tê-los para possibilitar efeitos diversos, de makes leves e diurnos aos mais pesados e noturnos.

Meus primeiros contatos com make aconteceram com a Avon, como hoje eles fazem testes em animais, optei por não indicar nenhum produto em especial.
Se alguém tiver mais indicações baratas/de fácil acesso, deixe suas sugestões nos coments. 😉

Anúncios

Kit Básico: Introdução

19 Ago

Pensei em iniciar as publicações sobre maquiagem por um ponto que há tempos tenho vontade de comentar. Muitas amigas me perguntam sobre o que é essencial em um kit de make e, para uma explicação bem completinha, decidi dividir o assunto em partes para não ficar maçante ou gigantesco.

Mas antes, acho interessante fazer uma breve introdução (que será linkada em todas as publicações), só para apresentar minha ideia do que realmente é preciso, principalmente com a popularização do assunto e dos blogs.

Amigues, esqueçam (por enquanto) marcas super caras e rotina com mil produtos, por mais que as dicas que rolam por aí sejam ótimas e os produtos importados muitas vezes apresentem resultados melhores, não adianta comprometer seu bolso sem antes estar “apaixonada” o suficiente para sentir a NECESSIDADE de tudo. E o que é necessário para quem AMA produtos de beauté é totalmente diferente do que é necessário para quem está entrando nesse mundo agora, ainda sem saber o quanto pode/quer investir nisso. Porque, por mais que saibamos que uma coisa é melhor que a outra, só vale apostar quando realmente sentimos que precisamos dela, caso contrário, vai nos parecer perda de dinheiro e acabar no esquecimento.

Tendo isso em mente, o que vou sugerir nesses posts é o mais básico possível, ignorando muito do que sei do assunto e pensando como alguém que começou agora.

E é isso, só para entenderem a lógica que vou seguir hehe. Vamos ao que interessa!

* Pele

* Olhos

* Boca (em breve)

* Pincéis (em breve)

Imagem: We heart it

Falar de que?

11 Ago

Já fiz minha entrada dramática (Rachel me representa), com um post bem cheio de confusão sentimental, agora estou livre para realmente apresentar o objetivo (se é que consegui definir um) desse cantinho.

Certa vez, li uma mensagem que me tocou, era algo mais ou menos assim: “Morreu de que? De palavras sufocadas na garganta”. E gente, se existe uma coisa da qual eu me recuso a sofrer, é de “morrer” por não falar. Claro que nem tudo deve ganhar a forma de palavras ditas, mas tem coisas que não dá para segurar. Seja um sentimento, ou uma opinião, uma (ou muitas) novidades de beauté, e até aquelas ideias meio nonsense…. você simplesmente sente que PRE-CI-SA passar adiante.

Como boa tagarela que sou, PRE-CI-SO compartilhar muitas coisas, às vezes, até mais do que minhas cordas vocais suportam (ou os ouvidos dos outros).  Então, para garantir que não sucumba às palavras presas na garganta, decidi criar este espaço, mais com a minha cara e com muitas, muitas palavras. Por quanto tempo ou com que frequência será atualizado, não sei, apenas espero que interesse para vocês, como para mim.

*Imagens do We Heart It

(Re)Começando

9 Ago

Dizem que na vida é sempre importante saber a hora de recomeçar,  se abrir para o novo e, não diria esquecer, mas desapegar do que o passado nos trouxe. Deixar cair todo aquele peso, culpa e expectativas que criamos e finalmente ter as mãos livres para agarrar as oportunidades que aparecem (ou sempre estiveram ali, mas era difícil enxergar com aquela montoeira de coisas na mão – e na cabeça).

Tudo isso é muito lindo e, principalmente, inspirador, sempre que penso a respeito ganho forças, me sinto basicamente a Anitta dando um show das poderosas. Mas basta algo dar errado, um desvio de pensamento para o que passou e ploft! Lá estou eu, de novo, em meio às minhas neuras e traumas e momentos de glória que se foram…  Sei que não faz bem, e meu problema nem é tanto o desapego, mas a superação. Superar que fracassei, que novamente fui a responsável pelo caos que me corrói.

Meu eu consciente me diz o tempo todo que é besteira cobrar tanto de si, que não podemos controlar tudo e que, por mais que a gente se empenhe, às vezes simplesmente não rola. Mas o meu eu depressivo (sabendo o quanto sou suscetível a um drama) me puxa para os receios guardados lá no fundo da alma e me lembra de quantas vezes já me senti assim, o problema  definitivamente sou eu. Fico então como uma pessoa bipolar, alternando entre esses pensamentos, ora alegre, ora triste, ora cheia de esperanças, ora achando que nada mais vai mudar…

E nisso a vida vai acontecendo, até que por fim, uma hora os olhos cansam de chorar e a cabeça dói só de pensar em perder tempo com tanta ideia negativa. Mais uma batalha vencida pelo amor próprio. É aquele momento em que você (ou, nesse caso, eu) sente uma vontade absurda de se redesenhar, de trazer à tona todos as novas opiniões e atitudes que vem ensaiando nesse tempo de luta interior.

Confesso que minha luta interior ainda acontece, mas cá estou, atropelando etapas e buscando, no meu redesenho, motivação suficiente para meu amor próprio se impor. Como parte disso tudo, decidi matar minha vontade de jogar palavras aos ventos e liberar um pouco do turbilhão de pensamentos que borbulha nesta cabecinha. Falar do que gosto e, muito mais difícil, do que sinto. Portanto, cheguem mais, abram a mente e o coração, afinal de contas, aqui estamos entre amigas. 😉

*Imagens do We Heart It